O assunto mais comentado nos últimos dias recebeu uma crítica bem humorada do universo Matrix. A conta oficial do Twitter para o próximo filme The Matrix Resurrections, deu uma boa sacaneada no Facebook após o anúncio sobre a mudança de nome da empresa para Meta. O quarto filme Matrix mostra novamente o herói messiânico Neo (Keanu Reeves), lutando contra as máquinas e impedindo que elas controlem a humanidade. A diretora original Lana Wachowski retorna à franquia, que chegou às telas pela última vez em 2003 e teve a parte final da trilogia em Matrix Revolutions. Ao lado de Wachowski, os membros do elenco original como Keanu Reeves, Carrie-Ann Moss, Jada Pinkett-Smith e Daniel Bernhardt retornarão nesse filme junto com novos rostos como o de Yahya Abdul-Mateen II, de Aquaman, como Morpheus.

Ontem, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou que a gigante das mídias sociais mudaria o seu nome para Meta, num esforço para unir todas as suas plataformas sob um único guarda-chuva. Além disso, Zuckerberg anunciou planos para um mundo de realidade virtual, chamado Metaverso, que ele vê como o futuro da Internet. Em animações de teste, Zuckerberg apresentou os seus planos para esse novo mundo virtual compartilhado, onde as pessoas interagem umas com as outras online, o que amplia a diferença entre as redes sociais e essa nova realidade virtual. O nome Metaverso vem do romance de ficção científica de 1992, Snow Crash, e Zuckerberg planeja que o conceito se torne parte da vida cotidiana em apenas uma década, algo que vai depender muito da adesão dos usuários.

No tweet o filme apresenta o próprio pôster de Matrix Resurrections tirando um sarro da notícia. Nesse novo pôster promocional com as icônicas pílulas vermelhas e azuis dos filmes Matrix, que foram adotadas pelos fãs como um símbolo de escolha entre a opressão ou a anarquia, algo que muitas pessoas ainda não entenderam, pois já vi várias postagens mostrando as pílulas com uma legenda errada.

O pôster original apresentava o slogan do filme “A escolha é sua”, mas nessa nova versão adicionaram outra legenda “Agora, baseado em eventos reais” ao lado da hashtag “#Meta”, uma referência diretamente ligada às notícias recentes do Facebook e do Metaverso.

O tweet critica diretamente o Facebook, por seus novos planos bem estranhos. A empresa tem enfrentado muitas críticas nos últimos anos por sua total falta de segurança online e também por permitir discursos de ódio e fake news em sua plataforma. O post de Matrix Resurrections chama a atenção para esse desejo em dominar o mundo real, sobre a invasão de privacidade e os perigos de uma simulação IA. Lógico que os fãs da trilogia Matrix enlouqueceram, pois vários deles já lançaram teorias e filosofaram sobre se a vida, como a conhecemos, poderia realmente ser uma simulação baseada em uma máquina e essas notícias recentes apenas aumentaram essa discussão.

Todos esses debates sobre a moralidade de um mundo totalmente simulado, são assunto de inúmeras distopias de ficção científica, incluindo os filmes Matrix originais e o livro e o filme Jogador Nº 1. Assim que o Metaverso foi anunciado, os fãs dos filmes já faziam comparações entre o Facebook e as máquinas controladoras que aparecem nesses filmes. Portanto, esse envolvimento de Matrix Resurrections com essa recente controvérsia sobre o anúncio do Facebook, não é nenhuma surpresa. Os filmes Matrix são conhecidos por estratégias de marketing criativas e ousadas, começando com a utilização da Internet em 1999, com o site What Is The Matrix?, que foi um dos primeiros exemplos de marketing online da história. Na verdade, essa possibilidade real de uma realidade virtual, onde os seres humanos interagem de forma natural, apenas ampliam a relevância e a necessidade de um novo filme Matrix.

Quem sabe o público consiga enxergar os avisos de que essa utopia possa passar a ser uma realidade, quando Matrix Resurrections estrear nos cinemas em dezembro desse ano.

Veja abaixo o trailer de Matrix Resurrections

Artigo: Hugo Machado


Na Amazon você encontra tudo sobre Matrix: