|

Share on facebook
Share on twitter

Compartilhe!

Quando estiver conversando com os seus amigos fãs de cinema, pergunte sobre os grandes filmes de ficção científica e fantasia dos anos 80, as chances são de que Highlander, 1986, apareça entre um dos primeiros mencionados. Se pensarmos na quantidade de amor e respeito que este filme tem nos corações de milhões de fãs de cinema ao redor do mundo, mesmo que ele tenha sido um fracasso de bilheteria, vamos perceber como Highlander – O Guerreiro Imortal é eterno, igual à Connor MacLeod.

Eu estou na turma que assistiu o filme no cinema e fico impressionado quando falam sobre o seu fracasso mundial de bilheteria, pois no Brasil as sessões estavam sempre lotadas, aliás como qualquer outro filme da louca década de 80.

Dirigido por Russell Mulcahy, mais conhecido por seu trabalho em videoclipes para nomes como Duran Duran e Ultravox, o filme se concentra no Highlander Connor McCloud, interpretado por Christopher Lambert, que durante uma batalha ao lado de seu clã, no ano de 1536, descobre sobre a sua imortalidade. Para controlar esse poder, ele é treinado pelo também imortal Ramirez – Sean Connery, um verdadeiro professor para Connor, ensinando-o a aprimor sua habilidade com a espada e educando-o sobre o desafio final dos Highlanders.

Esse desafio é um conflito milenar entre os imortais, no qual só pode haver um vencedor. A única maneira de um imortal ser morto é a decapitação e o último guerreiro de pé, ganha o prêmio. A jornada de Connor o leva através dos séculos até Nova York, em 1986, onde ele deve enfrentar o seu adversário final, o guerreiro Kurgan, interpretado por Clancy Brown.

Além de ser uma fantasia épica de ficção científica com um grande elenco e trilha sonora matadora, parte do apelo do filme é certamente os seus temas de imortalidade, angústia existencial e amor eterno. Esse enredo deixa o espectador pensando sobre a sua própria existência. Aparentemente, nenhum de nós quer morrer, mas quem realmente deseja viver para sempre?

Através dos olhos de Connor McCloud, percebemos como a imortalidade pode ser mais uma maldição, do que uma bênção. A morte é inevitável para todos e ser imortal só causa a dor, pois durante o filme MacLeod acompanha o seu amor eterno, Heather MacLeod, envelhecer e morrer.

Highlander foi filmado no Castelo Eilean Donan, na Escócia e teve uma fotografia magistral, mas o que realmente tem um destaque enorme nesse filme, é a trilha sonora impressionante e icônica da banda Queen. O trabalho da banda complementa perfeitamente a narrativa, com a emocionante e triste Who Wants To Live Forever e também com o rock pesado, de bater cabeça, como o tema do personagem Kurgan, Gimme the Prize.

Mas o principal destaque dessa trilha inesquecível, é uma das canções mais famosas do Queen, A Kind of Magic, aparecendo durante o filme, ligeiramente diferente, para depois ser tocada no final, nunca deixe nenhum filme antes dos créditos finais. A letra dessa música é de Roger Taylor e foi inspirada totalmente no roteiro do filme. Outra música que faz parte do filme, Princes of the Universe , fez parte também da trilha sonora da série de TV, Highlander, de 1992.

Highlander é um filme que merece ser reinventado para os dias atuais e vai crescer muito com a possibilidade de efeitos especiais mais tecnológicos e ficará sensacional se for filmado em Dolby Vision e Dolby Atmos. Mas a sua trilha sonora precisa permanecer a mesma, com o Queen e a voz imortal de Freddie Mercury, totalmente remasterizada.

Highlander faz parte dos filmes que assisti, quando era adolescente, e todo mundo precisa ver esse grande sucesso do cinema. Na minha opinião, pois a bilheteria mundial não foi tão grande assim.

Assista ao clipe de A Kind Of Magic


Você encontra o Filme Highlander – O Guerreiro Imortal em Blu-Ray na Amazon:



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Artigo:

Publicidade
Posts
Relacionados
Publicidade