Natal é aquele período de paz, amor, harmonia e felicidade para todas as pessoas que adoram essa festa. Menos para aqueles que não são aceitos, como o personagem Edward Mãos de Tesoura, de Johnny Depp.

Edward Mãos de Tesoura não é um filme que surge imediatamente na cabeça, quando pensamos em filmes de Natal. Mas esse filme, que teve a colaboração do diretor Tim Burton e do ator Johnny Depp é, na minha opinião, um dos melhores filmes de Natal. Bem diferente de outros clássicos do Natal, como Simplesmente Amor (Love Actually) ou Esqueceram de Mim (Home Alone), Edward Mãos de Tesoura é um filme natalino para os peculiares, estranhos, solitários, góticos e aqueles que acham essa data muito desconfortável. Esse filme pode tornar o feriado um pouco mais alegre, para aqueles que decididamente não gostam do natal e até para aqueles que adoram essa data.

O filme começa com uma mulher idosa contando à sua neta uma história do passado. Enquanto a neve cai do lado de fora, a mulher idosa conta a história de um homem que morava numa mansão mal-assombrada na montanha e criou um humano, Edward, mas morreu antes que pudesse terminar as sua mãos. Depois da sua morte, Edward ficou sozinho, incompleto e triste.

Logo depois vemos Pegg Boggs (Dianne Wiest) como uma vendedora de cosméticos bem nervosa, uma personagem perfeita para Burton, que consegue retratar esse mundo raso e corporativo de quem vive com a insegurança no trabalho e aguenta o rancor de seus vizinhos e parentes. Pegg é impedida de entrar na casa de uma pessoa, que se dizia amiga, e decide entrar na mansão onde encontra Edward agachado nas sombras do sótão.

Sensibilizada pela solidão de Edward, Pegg decide levá-lo para casa, para um mundo que ele está totalmente despreparado e que, provavelmente, não irá aceitá-lo. Por isso Edward se sente um peixe fora d’água entre os vizinhos insensíveis e boquiabertos, mas fica totalmente fascinado por Kim (Winona Ryder).

A partir dessa cena a paleta de cores do filme muda e a paisagem cinza de Edward e da sua mansão cheia de sombras e escuridão, vira a paisagem plana e colorida dos subúrbios americanos. Edward vira um sucesso, depois de podar cachorros e cortar cabelos com suas mãos de tesoura especiais. Só que logo esse fascínio se transforma em exploração e escárnio, fazendo com que ele passe da aceitação, à rejeição.

Resolvi incluir Edward Mãos de Tesoura na lista de filmes natalinos, porque o personagem passa a ser perseguido e demonizado pela vizinhança, bem na época do Natal. Essa data festiva apresenta um importante ponto de direção para o enredo desse filme e mostra que, mesmo no natal, onde todos precisam ter boa vontade, podemos esquecer de tratar os outros, especialmente os menos afortunados, com graça, compreensão e amor.

Embora o filme não inicie na época do Natal, ele termina aí, com Edward partindo para o isolamento no topo de uma montanha macabra, onde ele finalmente encontra um pouco de paz. Este final bem trágico para Edward, certamente não apresenta aquele tradicional final alegre, que encontramos na maioria dos filmes natalinos.

Mas, não podemos esquecer que, para muitos, o Natal pode ser a época mais difícil do ano e aquela lista de filmes totalmente alegres, nem sempre representa o que todos sentem. Por isso Edward Mãos de Tesoura merece ser visto no Natal, pois o filme tem uma mensagem muito importante e fala que devemos aceitar as diferenças das pessoas, principalmente quando estamos todos envoltos pela alegria do Natal. Esse filme tem uma história comovente, trilha sonora brilhante e um visual bem surpreendente, algo que apenas Tim Burton poderia conceber. A cena final de Edward Mãos de Tesoura, com Kim dançando sob a neve criada por Edward, pode ser aquele farol de luz para todos aqueles que se sentem isolados no Natal.

Na Amazon você encontra vários produtos do filme Edward Mãos de Tesoura