|

Share on facebook
Share on twitter

Compartilhe!


O Google perdeu uma arma valiosa na batalha pelo mercado de Assistentes Inteligentes e agora não permite mais que os usuários controlem o nível de volume de um grupo de alto-falantes Nest.

O Google perdeu um longo processo de violação de patente contra a Sonos e, para evitar mais conflitos que poderiam levar à multas ou ao pagamento de royalties, a empresa está alterando alguns recursos dos seus alto-falantes inteligentes, da linha Nest, que supostamente teriam sido copiados. A Comissão de Comércio Internacional dos Estados Unidos, após uma longa investigação de dois anos, determinou que o Google utilizou a tecnologia patenteada da Sonos e silenciosamente implementou esses recursos em sua própria linha de alto-falantes inteligentes das marcas Home e Nest.

O tribunal emitiu uma ordem contra o Google e a Sonos busca impor uma proibição da importação e venda de todos os gadgets, desde o Google Home e o hardware de áudio Nest, até telefones Pixel e computadores PixelBook. O Google agora aguarda uma revisão dessa disputa legal, antes que a proibição entre em vigor. Além disso, a empresa já tem uma rota de fuga para não ter que pagar caminhões de dinheiro à Sonos, em taxas de licenciamento e danos, ajustando os recursos que a Sonos alega terem sido roubados, para que os seus produtos não sejam mais acusados de abuso de patente.

Em uma postagem oficial no blog da Nest Community, o Google anunciou que os usuários não poderão mais alterar o volume para um grupo de alto-falantes. O recurso combinava vários alto-falantes inteligentes Home e Nest, ou smart display e dispositivos integrados ao Chromecast, sincronizando o controle do áudio. Antes disso os usuários conseguiam controlar o volume em toda a configuração, de uma só vez. Seguindo a decisão do tribunal, esse controle de volume multifuncional foi removido e agora os usuários precisam ajustar individualmente o volume de cada produto.

Um único comando deslizante era tudo que os usuários precisavam para controlar o nível de volume dos dispositivos, algo que podia ser feito também por comandos de voz, utilizando o Google Assistente para fazer esse trabalho. O Google também está removendo a capacidade de alterar, remotamente, esse ajuste, usando apenas o botão de volume do telefone. Esses dois recursos infringiram as patentes da Sonos e o Google, supostamente, utilizou-os sem pagar nenhuma taxa de licenciamento. Os usuários definitivamente não estão muito felizes com esses downgrades e os seus comentários no blog deixam isso muito claro. Em uma declaração compartilhada com a Bloomberg, a Sonos previu que o Google provavelmente sacrificará a experiência do consumidor, na tentativa de contornar esta proibição.

A Sonos estava certa sobre isso, mas em vez de forçar o Google a piorar a experiência do usuário, a empresa simplesmente quer que o gigante das buscas pague uma taxa justa de royalties pelo uso de sua tecnologia. Curiosamente, o Google certa vez impediu a Sonos de comercializar o seu recurso de simultaneidade, que permitia que vários assistentes de voz, como Google Assistente e Alexa, permanecessem ativos simultaneamente, no mesmo dispositivo. Agora, parece que a Sonos está trabalhando na sua própria assistente de IA e implementará essa solução de simultaneidade, de alguma forma. A assistente Sonos AI funcionará com recursos da Alexa e não terá uma assistente virtual particular.

A batalha das IAs parece não ter fim e será bem agitada nos próximos anos.

Artigo: Hugo Machado


No Submarino você encontra produtos Google para ter uma Casa Conectada

Acesse Aqui:



Publicidade
Publicidade Publicidade
Publicidade

Artigo:

Publicidade
Posts
Relacionados
Publicidade