•  
  •  
  •  
  •  

Quando assinei a HBO Max já sabia bem o que eu pretendia assistir e White Lotus não fazia parte dessa lista. Resolvi assistir o primeiro episódio e logo percebi que a minissérie era uma crítica, bem humorada, sobre a falsa alegria presente nos Resorts para os multimilionários e sobre a luta de classe entre os hóspedes mimados e os funcionários alegrados do Resort White Lotus, que fica no Havaí.

Mas por que você deve determinar se esta série, de seis episódios, é uma que você precisa assistir? Bom, se você é fã de séries e filmes que mostram brancos milionários e excêntricos se comportando mal e no caso de White Lotus, alguns desses personagens são completamente odiosos, de uma forma sarcástica e divertida, esta é uma série perfeita para você. Ainda mais que não precisamos torcer para que ninguém na série tenha sucesso ou, até mesmo, viva feliz para sempre. Os personagens são fascinantes de assistir e você não consegue deixar de rir, mesmo que seja de nojo, de algumas de suas aventuras na série.

Confesso que esperava que o personagem Tattoo, da Ilha da Fantasia, fosse aparecer na cena onde os funcionários do White Lotus dão tchauzinho para o avião dos hóspedes. Isso, lógico, não acontece, mas quando os hóspedes chegam ao White Lotus, você quase pode sentir o cheiro das paisagens paradisíacas do Havaí. O Resort de luxo tem um bege amarelado tranquilo que promete descanso mas, logo você vai perceber que é tudo, menos isso.

A comédia mostra os funcionários do Resort e o seu louco gerente, Armond (Murray Bartlett), tentando oferecer aos hóspedes uma experiência fantástica e o drama vem dessa determinação.

Escrita por Mike White, a série de seis episódios não revela o seu tema primordial, até que todos os hóspedes se instalem em seus quartos. A partir daí White Lotus apresenta o seu olhar crítico sobre os ultra-ricos e como eles realmente são bem diferentes dos pobres mortais que trabalham no Resort.

Para começar, há um casal em lua de mel, Shane e Rachel Patton (Jake Lacey e Alexandra Daddario), mas Shane está insatisfeito com a suíte que lhes foi dada. Ele diz para o gerente que a suíte não é a que está na foto online e também não tem piscina, conforme a reserva que a sua mãe realizou, só faltou ele dizer o bordão de Lady Kate: tô pagando!

Há também a louca família Mossbacher. Nicole (Connie Britton) é uma executiva de sucesso e o seu marido, Mark (Steve Zahn), está desanimado porque ele acha que tem câncer. Para aumentar o problema, existem duas crianças entediadas e a amiga da filha.

Outra personagem completamente lunática é Jogue Tanya McQuoid (Jennifer Coolidge), uma solteira solitária que foi para o Resort com a ideia de espalhar as cinzas de sua mãe. Depois de conhecer os personagens você percebe que essas pessoas têm problemas emocionais, que o dinheiro não consegue resolver e essa é a crítica bem-humorada que a série pretende oferecer.

A falta de consciência dos personagens mais ricos da série pode ser chocante e você certamente vai odiar como eles tratam aqueles que estão ao seu redor com uma chocante falta de respeito, mas você também não será capaz de abandonar a série. Como os funcionários do White Lotus sabem muito bem, é melhor apenas sorrir e acenar.

A primeira temporada de The White Lotus está disponível na HBO Max.

Artigo: Hugo Machado

A Amazon tem uma loja exclusiva com produtos Disney.

Acesse Aqui: