|

Share on facebook
Share on twitter

Compartilhe!



Possibilidade de Spoilers

James Gunn conseguiu algo inesperado no final da primeira temporada de Pacificador e isso sugere um novo futuro para os filmes e séries da DC.

Assisti praticamente todas as séries da DC que foram lançadas, desde do primeiro Batman, escalando a parede com o Robin, até a série Pacificador da HBO Max e posso dizer que, finalmente, a DC encontrou um caminho para o seu universo cinematográfico. Não que as séries e filmes anteriores sejam ruins, era impossível não gostar de ver Adam West com os seus socos onomatopeicos, ou Lynda Carter girando para virar a Mulher-Maravilha. Era sensacional ver os personagens que você lia nos quadrinhos ganhando vida na TV, ainda em preto e branco, e logo depois em filmes como o primeiro Super-Homem, com Christopher Reeve.

Aliás, teve uma série na década de 50, que assisti por aqui na década de 70, onde o ator que interpretava o Super-Homem chamava-se George Reeves. Eram séries e filmes inspirados nas primeiras histórias em quadrinhos e por isso tinham a ingenuidade dos personagens e mostravam sempre o bem, contra o mal. A DC, sei lá porque, continuou a produzir filmes ingênuos e nem o Cavaleiro da Trevas conseguiu transmitir a violência dos quadrinhos de Frank Miller, algo que The Batman pode recuperar. Pelo menos os trailers indicam que o Morcegão será bem mais violento.

A Série Pacificador, derivada do Esquadrão Suicida, conseguiu misturar cenas violentas, um humor ácido e uma trilha sonora matadora, cheia de rock clássico e por isso representa uma guinada e, com certeza, inicia uma nova era no Universo DC. Por isso o final da primeira temporada teve uma participação da Liga da Justiça e essa breve cena destaca muito como serão as próximas séries e filmes da DC. James Gunn vem falando sobre esse final há muito tempo e existem muitas teorias sobre o que ele tenta esconder. Embora a participação especial dure apenas alguns minutos, ela ajuda a recompensar algumas partes importantes da série Pacificador e configura o futuro do Universo DC.

Na cena vemos o Pacificador criticando o atraso da Liga da Justiça e sacaneando o Aquaman, com a piada que ele já havia falado na série, só que dessa vez o Flash confirma e acha graça. Só Jason Momoa aparece como Aquaman e Ezra Miller aparece como Flash. É surpreendente que Gunn tenha conseguido trazer Momoa e Miller, mesmo depois do Pacificador ficar criando piadas absurdas às custas da Liga da Justiça. A presença desses personagens vão muito além do Pacificador e piadas anti-super-heróis podem aparecer em todos os filmes e séries da DC, a partir de agora.

Além disso, ver Adebayo ligando para pedir ajuda da Liga da Justiça e eles se atrasarem, mostra o imenso problema que os grandes universos de quadrinhos enfrentam: alguns heróis nunca aparecem para ajudar, quando aparecem alguns vilões que pretendem destruir o mundo.

Será que finalmente a DC irá resolver esse problema?

Seria interessante ver o Flash enfrentando algum inimigo poderoso no seu filme e, do nada, surgisse o Lanterna Verde para ajudar, como sempre vimos nos quadrinhos.

Essa pode ser a grande surpresa que James Gunn quis revelar sobre o futuro do Universo DC.

Artigo: Hugo Machado


Na Amazon Você Encontra os Quadrinhos da DC Comics.

Acesse Aqui:



Publicidade
Publicidade Publicidade
Publicidade

Artigo:

Publicidade
Posts
Relacionados
Publicidade