|

Compartilhe!

Assino a MUBI para assistir filmes como Titane, que não encontro em nenhum serviço de streaming, mas ele ultrapassou os limites da loucura e do surrealismo.

Agathe Rousselle interpreta Alexia em Titane

Tem dias que nenhum serviço de streaming consegue captar a minha atenção, é nessa hora que eu escolho um filme da MUBI. Já assisti Lamb, Minha Vida de Abobrinha e alguns outros filmes totalmente surreais. O escolhido dessa vez foi Titane, um filme que conquistou a Palma de Ouro no Festival de Cannes, em 2020. Titane é um filme insano, onde a protagonista leva o amor por seu carro a um patamar extremo.

Em Titane vemos Alexia (Agathe Rousselle) sofrendo um terrível acidente de carro quando era criança. Esse acidente a deixou com uma placa de titânio na cabeça e isso enlouquece a pobre Alexia. Pois essa experiência traumática, juntamente com um relacionamento nocivo com o seu pai (Bertrand Bonello), levou duas verdades bem selvagens para a sua vida adulta. Ou seja, ela é uma assassina em série e está completamente apaixonada por seu carro. Mas essa paixão é algo que nem o criador de Transformers conseguiu imaginar.

Já vi muitas pessoas apaixonadas por carros, que acordam cedo para lavá-lo no sábado ou até desfilam pelados no capô dos seus queridos automóveis. Algo que já vi acontecer na Praça Tamandaré, quando morei em Goiânia. Lógico que isso aconteceu na louca década de 80, mas também é algo que vemos muito no carnaval.

Mas nada disso pode ser comparado com a louca paixão de Alexia pelo seu Cadillac, pois ela tem uma atração sexual pelo seu carro e até fica grávida dele. Essa loucura toda acontece ao mesmo tempo que ela está fugindo das autoridades, pois é acusada de cruéis assassinatos. Essas mortes também acontecem de forma mórbida e até engraçada, pois a arma preferida de Alexia é um grampo de cabelo que ela usa. Confesso que desviei o olhar em algumas cenas desse filme, pois eram bem sanguinárias. Mas assisti até o final, pois me recuso a abandonar um filme no meio.

Alexia após incluirem uma placa de titânio em sua cabeça


A história avança após Alexia fingir ser o filho de um chefe do corpo de bombeiros, mas não vou dizer como isso acontece, para não estragar a surpresa. Mas posso dizer que a equipe desse corpo de bombeiros viaja ao som da música Light House, da banda Future Islands. Ou seja, os bombeiros dançam loucamente ao som eletrônico dessa música e Alexia acaba revelando uma supresa que deixa todos abismados. O filme apresenta uma metamorfose libertadora, que chega de mãos dadas com uma ansiedade profunda. Titane faz uma crítica e mostra como a sociedade tenta conciliar os corpos que possui, com os que ela deseja.

Esse filme é dirigido por Julia Ducounau, que foi a segunda mulher a ganhar a Palma de Ouro em Cannes. Titane tem um final surpreendente e a única coisa que posso dizer, para não estragar a surpresa, é que esse filme também bebe da fonte criativa do clássico, o Bebê de Rosemary. Só que turbinado com um linguagem totalmente selvagem, violenta e extremamente sexual.

Se você não está com muita vontade de ir atrás do trio elétrico nesse carnaval, encare o desfile automobilístico sexual de Titane. Disponível na MUBI

A Amazon tem vários DVDs e Blu-Rays de Terror e Suspense



Publicidade Publicidade

Artigo:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Posts
Relacionados
Publicidade
plugins premium WordPress