•  
  •  
  •  
  •  

O álbum A Night At The Opera, do Queen é um dos discos de maior sucesso do grupo, vencedor de um Certificado de Platina da Associação de Gravação da América. Lançado em 1975, é o quarto álbum do grupo feito em estúdio e contou com as mãos do produtor Roy Baker. O álbum tem um estilo Hard Rock, com clara influência dos Beatles e do Led Zeppelin. Aclamado pela crítica, estreou no topo da UK Albums Chart e se manteve nessa posição por seis semanas. Nos Estados Unidos, ele alcançou a 4ª posição da Billboard 200.

O disco vendeu mais de 5 milhões de cópias mundialmente, um número astronômico para a época. Conta com hits de grande sucesso, como “Love of My Life”, “You’re My Bestfriend” e o clássico “Bohemian Rhapsody”. O Queen foi um grupo de grande sucesso no mundo todo, marcando época com músicas inovadoras e totalmente fora do padrão da época. Houve quem duvidasse que eles fariam sucesso ou que o disco A Day At The Opera fosse estourar. No entanto, eles demonstraram para todos que tinham talento para transformar a estrutura da música internacional. A Night at the Opera, foi lançado em 21 de novembro de 1975, e transformou a carreira do Queen.

Quando A Night at the Opera estava em produção, Queen e EMI se gabaram de que o álbum foi o mais caro de toda a história. A essa altura, a música “Bohemian Rhapsody” de seis minutos de duração, já subia nas paradas rumo ao primeiro lugar. Esse sucesso da música foi seguido por outros singles do novo álbum do Queen nos meses seguintes, quando a banda pegou a estrada para uma série de shows.

Bohemian Rhapsody de Mercury, foi com certeza a estrela do Álbum e uma canção que ele desenvolveu em peças que datam do final dos anos 1960. Começando com uma introdução de harmonia vocal à capela antes de seguir seu caminho para a música propriamente dita, com Mercury cantando e tocando piano. A música se move através de várias fases distintas e dinâmicas. Isso foi realizado por meio de um elaborado efeito de coro criado por Mercury, May e Taylor cantando suas partes vocais específicas por horas a fio, com todo o processo levando cerca de três semanas para ser concluído. O vocal solo final de Mercury com uma guitarra sutil de apoio, tornam esta música uma verdadeira obra-prima. O álbum A Night at the Opera termina com a instrumental “God Save the Queen”, o hino nacional britânico, que foi originalmente gravado em 1974 como uma homenagem à versão de Jimi Hendrix de “The Star-Spangled Banner”.

Anos mais tarde, May admitiu que, se A Night at the Opera tivesse sido um fracasso comercial, o Queen teria acabado. Felizmente, foi um sucesso comercial e de crítica, alcançando a quarta posição nos Estados Unidos e vendendo mais de 12 milhões de cópias em todo o mundo.

A Night at the Opera é um vinil que merece destaque em qualquer coleção. Abaixo você tem um link para esse álbum clássico e sua versão em streaming na Apple Music.

Links Abaixo: