•  
  •  
  •  
  •  

Com a chegada do 5G a IA passa a ser uma realidade em nossas vidas e vai impactar muito a cadeia de produção. A inteligência artificial já está revolucionando o futuro de todas as indústrias conhecidas pelos humanos, atuando como a principal força impulsionadora de empresas e tecnologias emergentes.

Mas o que é inteligência artificial?
É a inteligência demonstrada por máquinas, criadas a partir da inteligência natural dos humanos e pronta para interferir, em tempo real, nas decisões que tomamos. A IA continuará a causar inovação em nosso futuro e, lógico, em nossas vidas. Praticamente todo setor tem algum tipo de IA implantado em sua cadeia de produção. Podemos ver a robótica em armazéns, no desenvolvimento de jogos, na educação e até mesmo em supermercados. Isso envolve big data, robótica, aprendizado de máquina e IoT (Internet das coisas).

Na sofisticada indústria da saúde, que depende muito da precisão e exatidão do diagnóstico, a ajuda da IA acelera o desenvolvimento de medicamentos, anomalias podem ser encontradas com precisão e enfermeiras virtuais podem monitorar os pacientes com mais segurança e velocidade.

Tudo pode ser alcançado com ajuda da IA e o aprendizado da máquina, mas este é o futuro que requer um alto nível de poder computacional e irá se desenvolver lentamente no mundo da computação, quando falamos em escala mundial.

Você provavelmente já ouviu falar do Google Assistant, desenvolvido pelo Google. Algumas funções incluem responder perguntas e colocar datas em seu calendário. Mas, o que é realmente interessante, é que ele pode fazer ligações em seu nome para marcar consultas em locais diferentes, no médico ou no dentista, usando uma voz tradicional que pode entender todos os detalhes. Hoje, a IA também pode ser usada para educar, resolvendo rapidamente todas as lacunas do conhecimento e descobrindo uma maneira mais eficaz de ensinar coisas novas aos alunos, já que o sistema educacional é antigo e eles muitas vezes têm dificuldade em aprender com a escola tradicional.

O aprendizado pela metodologia Seneca, por exemplo, utiliza IA para ensinar de forma inteligente, com uma variedade de conteúdo, representação visual e muito mais.

Na estrada, as previsões podem ser feitas por IA para evitar acidentes catastróficos potenciais usando big data para otimizar o fluxo de carros, reduzir o congestionamento, a poluição e tornando as estradas muito mais amigáveis.

O problema que enfrentamos atualmente como humanos é que há um limite para a quantidade de números que nossos cérebros podem armazenar ou processar de uma vez, como big data. Com o avanço da IA, isso pode ser feito em uma fração de segundo e simulações de danos futuros podem ser evitados.

Embora a IA ofereça muitas vantagens, existem alguns problemas que os humanos podem enfrentar. Em termos de empregos, o percentual inferior de trabalhadores humanos, como lavadores de pratos em restaurantes, perderão empregos porque a IA e a robótica podem aprender a ser flexíveis, substituindo tarefas rotineiras.

Em armazéns como o da gigante Amazon, que conta com 100 mil robôs, além de trabalhadores humanos para fazer as tarefas de embalagem, veremos uma mudança radical. Em breve os depósitos serão totalmente automatizados e administrados por uma Inteligência Artifical.

Pessoalmente, acredito que os humanos podem ser treinados para realizarem diferentes tarefas em relação à manutenção e programação dos robôs. Ao mesmo tempo, acredito que isso abrirá muito mais oportunidades de emprego que podem ser preenchidas por humanos. Mas, o avanço tecnológico iniciado nesse século, é inevitável, e o homem precisa aprender a conviver com essa mudança.

Uma coisa é certa, a velocidade de aprendizado da máquina vai superar, e muito, os padrões atuais que conhecemos. A AI junto com a velocidade do 5G e a Internet das Coisas, vai transformar a maneira como enxergamos o nosso mundo e abrir novas frentes não só no setor de produção, mas também nas chamadas Cidades Inteligentes.

O futuro chegou e devemos acompanhá-lo.