•  
  •  
  •  
  •  

A pandemia global de COVID-19 está fazendo com que empresas de todos os setores, principalmente o de restaurantes, criem novas soluções seguras que facilitem a vida dos consumidores e isso inclui novas experiências sem contato. A equipe do Freestyle Equipment Innovation Center da Coca-Cola agiu rapidamente e encontrou uma nova maneira para que os seus parceiros dos serviços de alimentação, continuassem a fornecer as bebidas que seus clientes desejam em uma plataforma segura.

“Estamos investindo muito tempo para entender como o comportamento do consumidor está evoluindo durante a pandemia e nos certificando de que nossa estratégia de tecnologia corresponda aos comportamentos futuros”, disse Thomas Stubbs, VP de Engenharia e Inovação da Coca-Cola Freestyle. “Nossos parceiros de serviço de alimentação e entretenimento estão trabalhando incansavelmente para criar e manter um ambiente seguro para os seus clientes. E embora todas as máquinas de bebidas da Coca-Cola sejam seguras, com os cuidados e limpeza recomendados, agimos rapidamente quando a pandemia chegou, para criarmos o futuro da Máquina Freestyle e anteciparmos as mudanças nas necessidades dos consumidores,” completou o VP.

A máquina Coca-Cola Freestyle, que está disponível em 17 países, não é a tradicional fonte de refrigerante da empresa. Apresentada pela primeira vez em 2009, esses distribuidores de bebidas inovadores foram projetados usando uma interface de tela de toque e apresentam mais de 200 opções de bebidas Coca-Cola. Os usuários podem escolher entre misturas de sabores de produtos como Sprite de Morango combinado com Chá Fuze, que são então liberados ​​individualmente.

Para tornar a experiência totalmente sem contato, a Coca-Cola Freestyle trabalhou com seu provedor de nuvem de longa data, Amazon Web Services (AWS), para colaborar em uma solução de tecnologia que permitisse aos usuários operar as máquinas com seus smartphones. Assim que a pandemia iniciou, a equipe da Coca-Cola Freestyle foi capaz de desenvolver, testar e implantar um novo código de software nas máquinas e a AWS co-projetou a arquitetura que ajudou a criar uma solução extremamente rápida.

A solução “mobile pour” para as Máquinas de Coca-Cola leva a interface da Freestyle diretamente para o telefone do usuário. Sem nenhum aplicativo para baixar ou conta para entrar, o usuário simplesmente verifica o código QR da máquina para trazer a interface da Freestyle para a tela do telefone. A experiência de web móvel é projetada para ser intuitiva para o usuário e tem um design simples, mas não mostra a complexidade que está acontecendo em segundo plano e na nuvem.

“A tecnologia por trás do mobile pour torna a experiência tão simples e rápida que é um equívoco comum achar que tudo está acontecendo localmente”, explicou Michael Connor, arquiteto da Coca-Cola Freestyle. “O que realmente está acontecendo é uma série de sinais e etapas que ocorrem na nuvem, verificando se cada telefone está conectado à máquina certa, se apenas as bebidas em estoque são mostradas como opções de sabor, e que a bebida comece e pare de ser servida com um toque na tela do telefone. Tudo isso precisa acontecer praticamente em tempo real para que, quando os usuários tirarem o dedo do botão em seus telefones, a máquina pare de despejar instantaneamente e evite transbordamentos e derramamentos de bebida. É fundamental para a experiência do usuário que não aconteça atraso na comunicação entre o telefone e a máquina, e é por isso que estamos comprometidos com uma abordagem sem servidor. O que normalmente seria uma arquitetura complexa – com a quantidade de segurança, precisão e latência necessárias – é simplificado usando serviços como AWS Lambda para criar uma experiência mágica para o usuário.”

A chegada do 5G certamente vai ampliar a implantação da Internet das Coisas (IoT) com uma velocidade assustadora. Exemplos como o da Coca-Cola Freestyle serão corriqueiros e cada vez mais presentes em nossa sociedade. As Smart Cities já são uma realidade e a tendência é que serviços na nuvem sejam implantados com mais velocidade nos próximos anos.

Como dizia Steve Jobs – “A Tecnologia Move o Mundo.”