•  
  •  
  •  
  •  

Se 2020 fosse uma série, estaríamos assistindo os últimos episódios dramáticos e imprevisíveis desse ano, que está longe de terminar. No último episódio que vai acontecer no dia 31 de dezembro, quando o ano finalmente o ano chega ao fim, todos nós vamos torcer para que a segunda temporada dessa série louca, que começa em 2021, seja mais tranquila e feliz.

Para que a nossa vida de quarentena fosse um pouco mais amena, tivemos a ajuda de um serviço que não para de crescer, o Streaming. Antes solitária e dominante a Netflix ganhou a companhia de outros serviços de streaming, o que causou uma proliferação de novas séries nas nossas Smart TVs. Prime Video, Apple TV Plus, Mubi, Funimation e Disney Plus chegaram oferecendo muito conteúdo e com qualidade Dolby Vision e Dolby Atmos.

No final de março as perguntas que fazíamos para os amigos e familiares foram mudando de “Algum plano para este fim de semana?” para “O que você está assistindo agora?”

A pandemia obrigou a maioria de nós a descobrirmos atividades para realizarmos dentro de casa, jogos de tabuleiros, video games e quebra-cabeças foram deixados de lado aos poucos, junto com o bate papo pelo zoom, que cansou muito rapidamente. Foi aí que quase todo mundo começou a maratonar séries e assistir vários filmes pelos serviços de streaming. Mergulhamos em séries como Mandalorian, Thus Is Us, Carnival Row, The Boys, See e filmes como Harry Potter, O Senhor dos Anéis, DC e muito conteúdo Marvel.

Todo mundo passou a ficar online o tempo todo, tanto que limites de dados foram instituídos em países ao redor do mundo, por conselhos reguladores temerosos de que a Internet pudesse quebrar sob tamanha pressão, algo meio exagerado na minha opinião. A internet nunca entrou em colapso, mas o streaming, antes uma atividade isolada, tornou-se uma das únicas formas de conexão que tínhamos com o mundo cinematográfico.

De março até hoje, apesar da quarentena não ter mais a força inicial, as séries foram uma das poucas coisas sobre as quais as pessoas podiam conversar. Mandalorian, por exemplo, se tornou uma série que uniu as pessoas em debates online pelos diversos canais disponíveis. Fico imaginando uma quarentena assim na década de 80, quando só um telefone fixo era o nosso canal de comunicação com o mundo exterior.

Nesse momento em que o mundo estava tão isolado e as pessoas continuavam isoladas umas das outras, o que estávamos assistindo tornou-se uma conexão significativa com um mundo paralelo. Passamos por isso várias vezes durante a pandemia, assistindo The Mandalorian, Undoing, Gangs of London, Teerã e muitas outras séries. Sem mencionar que nos reconectamos com séries e filmes que tanto amamos no passadc, Como Tron, Lost,  Vampire Diaries e The Big Bang Theory, para citar apenas alguns.

Os gigantes do conteúdo ficaram atentos à essa mudança e no final de 2020 quase todas as empresas, com um serviço de streaming, estavam vendendo o mesmo discurso para os investidores, “streaming é o futuro dos negócios.” Disney, WarnerMedia, NBCUniversal e ViacomCBS passaram por grandes mudanças internas e passaram a focar nos seus respectivos produtos de streaming – Disney Plus, HBO Max, Peacock e CBS All Access, que logo se tornará Paramount Plus. Filmes antes designados para os cinemas, passaram a ter suas estreias em plataformas de streaming e as empresas lançaram recursos que permitem que as pessoas assistam ao conteúdo em grupo de amigos ou familiares, sem precisa sair de casa, tornando a experiência de streaming mais interativa e coletiva.

Estamos no meio de uma mudança radical no setor, na verdade em quase todos os setores, causada por uma aceleração forçada e sem precedentes. O comércio eletrônico está em alta porque as pessoas estão optando por fazer compras online, os educadores estão se adaptando para ensinar com plataformas online e em Hollywood, uma mensagem foi transmitida ao longo do ano: Eu transmito, você transmite, todos nós transmitimos para a eternidade.

Todo serviço de streaming está tentando realizar a mesma coisa. Os assinantes devem ser capazes de reproduzir, pesquisar, avançar e retroceder e habilitar legendas sem dificuldade, algo que as TVs por assinatura não permitem. Não deve demorar muito para que os algoritmos de aprendizado da máquina, identifiquem o que uma pessoa em particular está interessada e recomendem programas ou filmes com mais rapidez.

Hoje, cada plataforma é imensamente diferente da outra. O design do conteúdo, o design da interface do usuário e os controles são ligeiramente diferentes e criam uma experiência de streaming que faz toda a diferença. Se vamos navegar pelo conteúdo e assistir um filme com tranquilidade, ou se vamos bufar de frustração.

Como o streaming é fundamentalmente importante e continuará assim no futuro e porque cada plataforma é única em sua própria maneira, descrevo abaixo a diferença entre os principais serviços disponíveis hoje.

Essa é a minha opinião sobre os serviços de streaming que uso praticamente todos os dias e durante muitas horas da noite. Afinal, ainda temos que trabalhar muito para escrever nossos artigos e dicas de Tecnologia, Cinema, Streaming, Quadrinhos, Game e Vinil, que você acessa diariamente em nosso site.

Disney+

Pró: 

Encontramos as principais franquias de filmes e programas de TV 
Capacidade de streaming de 4K / HDR 
Modo festa disponível 
Disponível em todos os Dispositivos
Preço acessível 
Downloads offline 

Contra: 

Design de conteúdo meio confuso  
Sem muito conteúdo novo semanalmente

Netflix

Pró:

Biblioteca mais extensa de filmes e programas, incluindo nova programação adicionada semanalmente 
Disponível em todos os Dispositivos 
Recursos de 4K / HDR 
Recursos de avanço rápido e retrocesso com um toque 
Excelente controle de áudio e opções
Downloads offline 
Boas recomendações por usuário

Contra: 

A qualidade da programação é, na melhor das hipóteses, inconsistente 
Organização de conteúdo terrível

Prime Video

Pró: 

Vem com Amazon Prime 
Várias séries e filmes exclusivos 
Disponível em todos os Dispositivos
Oferece conteúdo 4K / HDR 

Contra: 

Interface do usuário é muito ruim 
A funcionalidade de pesquisa não é boa 
O novo conteúdo é esparso e difícil de encontrar
A biblioteca não se compara à dos concorrentes 
Sem downloads offline

Apple TV+

Pró: 

Melhor Custo, principalmente se escolhermos o Apple One 
Programação com muita qualidade 
Navegação excelente 
Visualização offline 
Compatível com 4K / HDR
Disponível em todos os Dispositivos. Mas sugerimos assistir na Apple TV 4K

Contra: 

Não tem uma grande oferta de conteúdo, mas você pode baixar filmes pagos que não estão disponíveis nos serviços de streaming.
Nenhum catálogo de programas de TV ou filmes clássicos 
Poucos lançamentos

Mubi

Pró:

Catálogo com filmes independentes, clássicos restaurados e obras consagradas em grandes festivais.
Pelo menos um filme novo todo dia
Filmes em HD
Possibilidade de Download

Contra:

Praticamente sem conteúdo 4K

A Amazon tem os melhores presentes para esse Natal. Clique Abaixo: