•  
  •  
  •  
  •  

Você provavelmente já escutou a trilha sonora de Carruagens de Fogo várias vezes, mesmo sem nunca ter assistido o filme. Essa trilha, criada pelo músico Vangelis, é simplesmente sensacional e faz com que você tenha vontade de correr muito depois que escuta, principalmente quem assistiu o filme no cinema e lembra das cenas fantásticas.

Carruagens de Fogo é um filme sobre as diferenças das classes britânicas logo após a Primeira Guerra Mundial, um período em que o sistema estava tentando se recompor após a carnificina cruel de uma guerra. O filme mostra um escocês, filho de missionários na China e um judeu cujo pai é um imigrante da Lituânia, que utilizam a corrida como meio de ter alguma dignidade. Mas o filme é muito mais do que isso e fica até difícil de expressar em palavras, você tem que assistir e de preferência com o volume no máximo. Carruagens de Fogo pode criar sentimentos profundos em grande parte do seu público e não é por causa da sua história ou até mesmo dos seus personagens, é sobre momentos específicos do filme, que precisam ser vistos e ouvidos com muita nitidez.

Carruagens de Fogo tem uma fotografia que presta muita atenção à aparência precisa de um rosto humano durante o estresse, a dor, a derrota, a vitória e a alegria. Com uma das trilhas sonoras mais marcantes de qualquer filme até hoje, que foi criada pelo grego Vangelis Papathanassiou. Suas composições para Carruagens de Fogo são tão adequadas ao material filmado e consegue ter o destaque de trilhas famosas como as dos filmes O Terceiro Homem e Zorba, o Grego. A música oferece vida ao filme, que mostra dois jovens atletas britânicos, naturalmente talentosos, que correm rápido o suficiente para trazer para casa as medalhas dos Jogos Olímpicos de Paris em 1924.

Carruagens de Fogo conta a história dos triunfos britânicos nessas Olimpíadas, onde os representantes do Reino Unido ganharam uma série de medalhas contra os invencíveis americanos. Com Abrahams e Lidell na liderança, a equipe britânica de atletismo teve uma de suas melhores apresentações na história olímpica.

Sem os clichês desgastados de filmes sobre esportes, Carruagens de Fogo está mais interessado na motivação e no desenvolvimento do caráter. Sim, é importante saber que Abrahams e Lidell vencem, mas a verdadeira essência da história, está no que leva os personagens às corridas e à vitória.

Quando Carruagens de Fogo foi lançado, muitos dos principais membros do elenco, incluindo Ben Cross, Ian Charleson, Nigel Havers e Alice Krige, eram relativamente desconhecidos. Mas todos tiveram performances fortes e cada um foi recompensado com papéis em outras produções cinematográficas. O filme foi dirigido por Hugh Hudson e ganhou quatro prêmios no Oscar, em 1982. Carruagens de Fogo venceu nas categorias Melhor Filme, Melhor Roteiro Original (Colin Welland), Melhor Figurino (Milena Canonero) e Melhor Trilha Sonora (Vangelis).

Quase não há nenhum sopro de melodrama em Carruagens de Fogo e isso torna a experiência de assistir o filme, ainda mais eficaz. O diretor Hugh Hudson consegue ter respeito pela integridade do seu material e a inteligência do seu público. A ausência de momentos piegas fornece à narrativa uma qualidade genuína que apóia o seu pano de fundo bucólico. Não apenas nos preocupamos com os personagens, mas aceitamos que eles realmente existiram. Na verdade, toda a produção reivindica esse mesmo senso harmônico entre imagem e trilha sonora. A maioria dos filmes de esportes depende da nostalgia e da adrenalina, mas Carruagens de Fogo se destaca pelo roteiro, direção e atuação fortes. Você pode gostar desse filme sem a necessidade de ter algum amor pelo esporte, precisa apenas de uma forte compreensão da natureza humana.

Na Amazon você encontra o Blu-Ray de Carruagens de Fogo:

Acesse aqui: